8 de out de 2012

O Salão de Âmbar


  • Um tesouro perdido da II Guerra Mundial

Há uma lista imensa de tesouros resultantes de saques durante o assaltos da II Guerra que continuam perdidos. Entre eles, um dos mais valiosos é o Salão de Âmbar.

Em 1941, as forças da Alemanha nazi invadiram Leninegrado, atual S. Petersburgo. Um dos palácios da cidade abrigava, na altura, um grande tesouro da cultura russa, que fazia parte da lista de obras pretendidas por Hitler: o Salão de Âmbar.

O salão foi construída de 1701 a 1709 por artesãos russos e alemães; milhares de pedaços de âmbar foram utilizados para criar os painéis de revestimento, decorados também com folha de ouro e espelhos. Em 1716, o rei da Prússia Friedrich Wilhelm I ofereceu os painéis a Pedro, o Grande, imperador da Rússia. O salão foi ampliado, passando a ter um total de 6 toneladas de âmbar, que custava na época 12 vezes mais que o ouro.


Aquando da invasão alemã, os russos cobriram os painéis com papel de parede, mas isso não impediu que estes fossem desmontados e levados para o palácio de Königsberg (atual Kaliningrado), de onde desapareceram no caos do final da II Guerra Mundial.

Até hoje, e apesar de vários falsos alarmes, o paradeiro deste tesouro, considerado por vezes a oitava maravilha do mundo, é desconhecido: pode ter sido destruído, ou estar escondido em algum dos túneis e grutas usados pelos nazis para guardar os tesouros artísticos saqueados. Em 1979 o governo russo iniciou a reconstrução da Sala de Âmbar, a partir de fotografias antigas. A nova sala foi inaugurada em 2003, no 300º aniversário da cidade de S. Petersburgo.

Ainda conta a lenda que os reis de Prússia mandaram junto com o Salão uma relíquia sagrada: Um globo de ouro, que emitia uma luz dourada, sem que tivesse conectado à qualquer fonte de energia. Essa relíquia, segundo os escritos dos reis, era capaz de identificar uma ameaça aos seus donos: a luz do globo mudava de coloração, de amarelada para vermelho, dependendo do nível de ameaça ao seu detentor. Falam que dias antes do ataque nazista, ela brilhava vermelho rubro. Talvez seja esse um dos motivos pelos quais Hitler queria tanto o Salão, visto que, era um ocultista de marca maior.





. . .

Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails